Festival Afro e Indígena reúne artistas LGBTI em documentário Musical

23
views
Miranda Caê está no line up

Começa nesta quinta-feira (6) o Festival Afro e Indígena, que durante três dias irá reunir artistas em um documentário musical no YouTube. Dentre os artistas escalados para o evento estão Katu Mirim, Gabriellê, Miranda Caê e Brisa Flow que são abertamente LGBTI. O maior objetivo do Festival Afro e Indígena é resgatar as raízes e memórias do país.

Além dos artistas. o professor, ativista e integrante da Uneafro, Douglas Belchior se juntará a Sonia Barbosa Ara Mirim, liderança do povo Guarani Mbya, da Terra Indígena Jaraguá para ajudar a embasar e contextualizar os debates que deverão acontecer nos três dias de evento.

A principio o festival foi idealizado para acontecer de forma presencial, inclusive, já havia local para que ele ocorresse: Comunidade Cultural Quilombaque, localizada em Perus, noroeste de São Paulo. No entanto, o agravamento da pandemia fez com que os planos mudassem e a realização passasse a ser planejada de forma virtual.

“Entendemos a necessidade e importância de promover o trabalho à essas pessoas, não só dos artistas, mas também de toda equipe técnica envolvida, como gravação, áudio, montagem, cenografia, entre outros envolvidos na construção destas apresentações”, explicam os músicos e produtores culturais Fabricio Mascate e Phil Lima, que com fomento do edital Expresso Lab do Programa de Ação Cultural (ProAC) conseguiram realizar o festival.

SERVIÇO
Festival Afro e Indígena – Evento documental de resgate das cultura preta e indígena
Datas: 6, 7 e 8 de maio
Horário: 19h (Horário de Brasília)
Canal: Youtube Festival Afro e Indígena

Cronograma de apresentações
6 de maio: Gabriellê e Edivan Fulni-ô
7 de maio: Brisa Flow e Miranda Caê
8 de maio: Katú Mirim e Toinho Melodia

Comentários

Renan é um jornalista de humor ácido (é bem ruim pela manhã) que acredita que informação é uma das armas mais poderosas contra a LGBTfobia.
COMPARTILHAR