Gráfica russa acusa BTS de “propaganda gay”

194
views

Comandada por Vladimir Putin, a Rússia voltou a mostrar que não pretende aceitar nada que não seja extremamente tradicional. Uma gráfica do país se recusou a imprimir material do grupo BTS por suposta “propaganda gay”.

O caso foi relatado pelo PinkyPop Café, espaço dedicado ao Kpop, que pretendia fazer um especial sobre BTS e Stray Kids. Para isso eles pediram a impressão de cartões, banners e outros materiais que foram rejeitados assim que os donos da gráfica viram as imagens.

Após ignorar os primeiros pedidos, a gráfica finalmente respondeu com o questionamento “Entendo corretamente que essas pessoas têm uma orientação não tradicional?”. Mais tarde, disseram que os meninos do BTS não estavam “escondendo a orientação” nas imagens enviadas.

Caso você esteja numa caverna, em 2012 a Rússia proibiu qualquer coisa que possa “incentivar” os jovens a “se tornarem gay”. A norma ficou conhecida com a proibição de “propaganda gay“.

Embora a princípio tenha se recusando a responder a imprensa, a gráfica disse mais tarde que tinha “clientes ‘normais’ o suficientes para poder escolher com quem trabalhar e com quem não trabalhar”.

Com informações do jornal Russian Times.

Caso similar aconteceu em 2018

Em 2018 o BTS foi banido dos cinemas da Rússia pela mesma razão que a gráfica se recusou a imprimir materiais do grupo.

Os ingressos do documentário da boy band chegaram a começar a ser vendidos, mas um grupo anti-LGBT começou uma campanha dizendo que o filme era protagonizado por “sete homossexuais coreanos”.

Na época, o BTS chegou a fazer uma campanha para que o filme pudesse ser exibido. Vale lembrar que nenhum dos integrantes do grupo é abertamente gay ou bissexual.

Comentários

Renan é um jornalista de humor ácido (é bem ruim pela manhã) que acredita que informação é uma das armas mais poderosas contra a LGBTfobia.
COMPARTILHAR