Ativistas de Gana criam página para expor golpistas

30
views

Os gays de Gana estão sendo obrigados a redobrar a atenção. Além da constante ameaça de parar na prisão, já que ser homossexual é ilegal no país, alguns golpistas estão usando o Grindr para localizar, chantagear, roubar e abusar dos desavisados.

+ Grindr é usado para suposto roubo em Piracicaba

Como forma de defender a população de mais golpes que muitas vezes não são denunciados, já que as vítimas que iriam parar atrás das grades, um grupo de ativistas batizado de Rights Ghana criou uma página no Facebook para expor e tornar o rosto dos criminosos conhecido entre os usuários de plataformas de relacionamento.

“Depois que postamos, muitas pessoas compartilham e outras muitas são avisadas. Se novas possíveis vítimas estão conversando com os golpistas, elas param”, contou Alex Kofi Donkor, líder do Rights Ghana, para a Reuters.

Ele também compartilhou a história de um homem bissexual identificado como Nana Kwame, que sofreu um roubado a mão armada, além de ser ameaçado de morte, e de um homem gay identificado apenas como Benson, que foi espancado e teve a mandíbula quebrada depois de marcar um encontro pelo Grindr.

De acordo com Donkor, ambos chegaram a fazer denúncias para polícia, mas ninguém foi preso e as investigações não parecem ser uma prioridade das autoridades.

O Grindr implementou uma série de mudanças no app em países em que ser gay é crime. A opção de printar a tela foi suspensa e o aplicativo pode ser camuflado com outro ícone nos aparelhos celulares.

Comentários

Renan Oliveira
Renan é um jornalista de humor ácido (é bem ruim pela manhã) que acredita que informação é uma das armas mais poderosas contra a LGBTfobia.
COMPARTILHAR