“Sempre gostei mais de caras com barriguinha”, afirma Gil Holiver

1053
views

Gil Holiver tem pouco tempo de carreira na indústria pornô, mas já possui uma legião de fãs que o acompanha nas redes sociais. Para se ter uma ideia, o perfil dele no twitter, que costuma ser mais amigável com conteúdo adulto, foi criado em abril de 2019 e já acumula mais de 155 mil seguidores.

O visual meio nerd aliado a um corpo malhado e performances nas quais ele se destacou como passivo foram algumas das características que ajudaram Holiver a se reconhecido no mercado. Mas engana-se quem acredita que ele faz parte do grupo que só se sente atraído por “semelhantes”, como costuma dizer os malhados de aplicativos.

O ator, que além de gravar filmes para produtoras também possui uma conta no OnlyFans, disse que não se limita quando o assunto é sexo e que fica mais excitado quando há um contraste entre as formas dos corpos.

Abaixo você confere a entrevista exclusiva que o Dentro do Meio, que já entrevistou nomes como Pedro Messina, Yuri Oberon e Theo Barone, fez com Gil Holiver. Veja:

Dentro Do Meio: Quando decidiu se tornar ator pornô?

Gil Holiver: Desde adolescente diziam que eu parecia garoto de filmes adultos porque desde criança eu tinha um corpo com formas e era bastante sexualizado por adultos. Cresci achando essa possibilidade um absurdo até que comecei a gravar vídeos caseiros por puro fetiche de me assistir. Em 2017 mandei um vídeo fazendo sexo a 3 para um rapaz que eu estava conhecendo, ele gostou e pediu para enviar para o amigo dele que era diretor na Meninos Online. Comecei trabalhar para esse diretor fazendo sexo ao vivo algumas sextas em uma boate. As performances duravam 10 minutos e o público só assistia.
Ele foi me conhecendo e eu fiz o primeiro filme, porém eu não gostei, não era como eu imaginava. Sumi, não falei mais com ninguém, comecei a ficar com um cara e deixei tudo isso de lado. Só retornei em 2019 a convite da HotBoys, que sempre foi minha produtora dos sonhos no Brasil, para um reality show pornô.

Dentro Do Meio: Por falar deste reality promovido pela HotBoys, você acabou abandonado a disputa. Por que?

Gil Holiver: Então, aceitei participar do reality show da Hotboys, mas tinha traumas do primeiro filme para Meninos Online e eu não tinha confiança em mim. Achava os garotos bem melhores, mas eu já estava sendo favorito sem imaginar e a produtora nunca me deixou perceber isso. Só descobri votações e preferências quando eu desisti da competição na grande cena final.
Eu tinha viajado de SP, estava muito ansioso, não consegui dormir e estava estressado. Cheguei e eles estavam ocupados falando sobre religião, mas naquela hora eu não entendi nada. Me pediram pra dar uma volta em Copacabana e voltar depois, mas eu estava muito cansado e estressado, só queria tomar um café e descansar. Então, já cheguei na gravação magoado e irritado, totalmente desconcentrado e meu amigo e corrente super a vontade e feliz. Eu não queria fazer minha última cena de qualquer forma, queria estar bem, porque a cada cena na competição eu fui evoluindo muito, a ponto de estar sendo favorito, mesmo sem saber ainda.
No momento da gravação, todo stress pesou e eu pedi minha passagem para ir embora. Também pedi que dessem o cache ao outro corrente porque eu tinha desistido. Eles foram profissionais, não me trataram mal e eu voltei para casa.

DdM: Já foi discriminado por ser ator pornô?

Holiver: Meu ex-namorado me conheceu fazendo pornô e no fim da relação disse que eu não passaria disso. Ouvir isso de outros não me importaria, mas ele era o cara que eu amava e praticamente deixei a vida pornô por ele. Recusei inúmeras produtoras de fora e até mesmo a HotBoys, que eu amo. Então, o único comentário sobre minha carreira que me magoou foi o dele, já que a opinião de quem a gente não ama e não nos conhece, não se leva para vida.

DdM: Há um tempo atrás, alguns vídeos seus foram postados no Xvídeos com nomes de grupos de K-pop no título. O que achou da brincadeira?

Holiver: Eu dou muita risada e esperei por esse momento de virar um meme. Me marcaram em vários post sobre fã de K-Pop sendo arrombado. Eu achei muito engraçado, passei a ouvir Blackpink e inclusive agora enquanto te respondo estou ouvindo LOVE SICKGIRLS delas. Eu só tenho a agradecer quem fez isso, eu acordo e durmo extremamente animado com essas músicas, inclusive posto umas dancinhas nos meus stories de vez em quando.

DdM: Em uma postagem recente você disse preferir homens com barriguinha. Você acha que o pornô tem aberto espaço para o tipo de homem que você gosta?

Holiver: Eu sempre adorei caras de barriguinha, pelos e alguns ursinhos. As pessoas olham para mim e tem certeza que eu prefiro musculosos, por eu ter um corpão. Mas não é nem assim. Desde sempre eu já quis ter algum filme profissional com homens mais velhos, ursos, gordinhos ou todo mundo junto num gangbang. Não sou limitado, atração vai além do corpo e até uma palavra muda tudo.

DdM: Além do pornô dar mais ênfase para homens musculosos, é comum que em aplicativos os chamados “padrões” desprezem quem não é “semelhante”. Qual é sua opinião sobre padrão?

Holiver: No aplicativo é a mesma coisa. As vezes eu queria fazer sexo a 3 e meu parceiro não tem o mesmo corpo que eu, aí algumas pessoas queriam sair só comigo, muitas recusas até consegui marcar algo em que não exigissem corpos malhados.
Mas pode se notar, inclusive em redes sociais, que o nosso meio endeusa muito corpos malhados e menosprezam pessoas de corpo comum ou “fora dos padrões”. Eu não consigo me situar nisso porque acho lindo essa diferença, alguém malhado, alguém gordinho, alguém mais magro. Não me limito.

DdM: Com quais atores você ainda quer trabalhar?

Holiver: Eu não fico desejando trabalhar com pessoas específicas, mas um que eu gosto, é bem fofo, carinhoso e a gente se fala muito é o Austin Wolf. Nós gravaríamos em maio, mas ele não conseguiu devido ao início da pandemia do Covid.

DdM: Qual cena você mais gostou de gravar?

Holiver: As cenas dos meus 2 gangangs: uma com 5 caras e outra com 4. Foram bem amadoras, eles estavam absolutamente loucos para me fuder e mesmo eu pedindo para parar que estava cansado eles continuaram. Isso me excita.

DdM: Qual a maior diferença entre gravar para produtora e fazer vídeos para o OnlyFans?

Holiver: A diferença é que somos livres para fazer como quisermos. Nenhuma produtora me colocou com um gordinho, por exemplo. Eu arrumei um e o vídeo foi super bem avaliado e curtido no meu OnlyFans. Isso representa muita gente de autoestima baixa, que acha que boys musculosos só gostam de semelhantes.

DdM: Tem planos de investir numa carreira internacional?

Holiver: Tive e tenho inúmeras oportunidades para carreira internacional, mas nunca foi meu sonho. Se em algum momento eu mudar de ideia, eu faria sim, jamais digo nunca. Talvez para pelo menos viver em outro país por algum tempo.

Comentários

Renan é um jornalista de humor ácido (é bem ruim pela manhã) que acredita que informação é uma das armas mais poderosas contra a LGBTfobia.
COMPARTILHAR