Pandemia aumentou pressão estética e insatisfação com o corpo entre LGBTI

283
views

Além de uma completa transformação na rotina de centenas de milhares de pessoas, a pandemia do coronavírus aumentou também a pressão estética e insatisfação com o corpo da população LGBTI. Ao menos é o que mostra a pesquisa feita pelo Dentro Do Meio, que contou com a divulgação parceira do GayBlog e da Antra.

Embora esteja avançando, a vacinação dos brasileiros ainda está longe de permitir uma vida próxima ao que costumávamos ter antes da covid-19. O mais recente boletim do consórcio da imprensa, divulgado na última sexta (1), aponta que 44% da população já completou o esquema vacinal de imunização, ou seja, mais da metade dos brasileiros ainda aguarda para retomar uma rotina minimamente mais segura fora de casa.

Mesmo com estes números, não é mais tão raro encontrar disputa por aparelhos nas academias, o que mostra que o número de pessoas que decidiu retomar os treinos está cada vez maior. Além de uma vida mais saudável, a busca por um corpo mais torneado e musculoso é uma das maiores razões que levam as pessoas a decidir arriscar encarar ambientes fechados mesmo com a continuidade da pandemia.

Embora não seja novidade, a pressão estética e a busca por um modelo específico de corpo ganhou novos contornos com a nova realidade. Nossa pesquisa aponta que 79% da população LGBTI está insatisfeita com o corpo, sendo que 56% dos entrevistado ficou ainda mais descontente com a aparência durante o período de isolamento social forçado pela pandemia.

Essa insatisfação também é impulsionada pela percepção alheia, já que 80% já sentiu que foi rejeitada por causa do corpo. Quando questionadas sobre rejeitar os demais, apenas 33% das pessoas entrevistadas disse que nunca repeliu ninguém por conta da aparência. Os dados comprovam que, mesmo com o crescimento de textos e posturas positivas sobre diferentes tipos de corpos nas redes sociais, a população LGBT ainda valoriza muito o chamado corpo malhado.

O Dentro Do Meio ouviu 368 pessoas através de um formulário divulgado nas redes sociais a partir de 15/07. Para tentar alcançar um número maior de pessoas da comunidade LGBT, nossa redação contou com o apoio de divulgação do site Gay Blog e da Associação Nacional de Travestis e Transexuais. Mais matérias serão produzidas com os dados levantados.

Outras pesquisas:

Comentários

Renan é um jornalista de humor ácido (é bem ruim pela manhã) que acredita que informação é uma das armas mais poderosas contra a LGBTfobia.
COMPARTILHAR