Harness: do fetiche para moda

256
views
Foto: Magoo Macedo/Acervo pessoal

Arreio. Essa é a tradução literal para Harness, peça que nasceu na cultura do couro e também do fetiche de dominação.

A aproximação do mundo da moda não apenas popularizou a peça como também fez com que sua história se perdesse um pouco. Não se tratava mais apenas de sexo, mas de estilo.

Hoje, não é incomum encontrar pessoas usando Harness em festas, inclusive as não fetichistas, e em situações, digamos, mais cotidianas como o carnaval, por exemplo.

+ Kevin celebra diversidade e pluralidade de corpos

Mais do que contar a história de origem e as transformações que passou no mundo da moda, essa matéria quer te mostrar como o Harness ganhou outro status que vai além de peça de fetiche.

Popularidade em baixa no sexo

O Harness é bem menos popular do que se possa imaginar e foram vocês, através de uma pesquisa, quem me mostraram isso.

Houve quem, só de ler o nome, não tivesse a mais vaga ideia do que era o acessório. E olha que ele costuma estar bastante presente em filmes adultos e fotos para o público gay.

A mesma pesquisa mostrou que ainda tem pouca gente usando a peça durante o sexo. No total, 56% dos entrevistados nunca transou com alguém que estivesse usando Harness e 48% nunca vestiu o assessório para transar.

No entanto, entre os que usaram ou gostariam, os passivos são maioria. E, ainda que em baixa, a peça ainda brinca com o imaginário dos que curtem ser dominados, já que 29,3% dos entrevistados usariam com essa finalidade.

Ascensão no mundo da moda

Uma das primeiras pessoas a levar a peça para o mundo da moda foi Gianni Versace. Em 1992, inspirado na cultura do sadomasoquismo, o ícone da moda levou o Harness para as passarelas num desfile que fez o New York Times publicar uma matéria intitulado “Chic or Cruel“.

Na época, as peças da grande marca era predominantemente para mulheres. Mas também há registros, inclusive mais recentes, de homens usando harness nas passarelas.

Em 2015, quando apresentava a coleção de 2016 na São Paulo Fashion Week, a marca Ratier mostrou como homens ficariam usando a peça junto com camisas, por exemplo.

E, convenhamos, mesmo quem não é tão ligado em moda deve saber que das passarelas para as ruas é um pulo. Na nossa pesquisa vocês citaram baladas, festas fetichistas, carnaval e Paradas LGBTI como opções para usar harness. No entanto, ele também já apareceu no Oscar.

Em 2018, o patinador Adam Rippon foi um dos destaques do tapete vermelho da premiação ao aparecer usando smoking combinado com harness de couro.

Contornos mais fashionistas também foram usados por Micheal B. Jordan, Chadwick Boseman e Timothée Chalamet em outros tapetes vermelhos de importantes premiações.

Harness e o código dos lenços

Hoje em dia, não é muito difícil encontrar a peça em diversas cores além do preto. O que poucos sabem é que há não muito tempo, essas cores tinham significados derivados do código do lenços.

E não se preocupe se você não tem ideia do que é o código dos lenços porque 88,9% dos nossos entrevistados também não tinha noção do que se tratava. Por isso, vamos para uma rápida explicação, mas se você quiser se aprofundar no assunto é só ler essa matéria do Lado Bi.

Na década de 70 homens gays não tinham aplicativos e, por conservadorismo, era muito difícil flertar e encontrar alguém para se relacionar, por isso, eles passaram a usar lenços no bolso traseiro como um código de que estavam interessados e disponíveis.

Com o passar do tempo, os lenços foram ganhando cores que estavam intimamente ligados aos interesses na cama e fetiches sexuais. O azul claro era para sexo oral, o azul escuro para sexo anal, o amarelo para pissing, vermelho para fisting, rosa para dildo e assim por diante.

Fonte The Leatherman Handbook 2

Mas isso parece ter se perdido com o passar das décadas. Hoje, é difícil encontrar alguém que saiba os significados ou que escolha cores para algo além do que a estética da coisa.

Onde e como encontrar

O harness também evoluiu e hoje não é feito apenas de couro. As peças agora podem ser confeccionadas de fitas, correntes e até mesmo elásticos e renda. Isso, no entanto, não tirou a beleza delas que ainda são sensação em sex parties, carnaval, festa a fantasia, entre outros.

Os modelos também encontram variações para aguardar todos os gostos. Há peças que pegam os dois ombros, um ombro só e que se liguem a cuecas. Exitem modelos com e sem argolas, além das diferentes confecções que citei anteriormente.

A popularização da peça também fez com que ela fosse ficando cada vez mais fáceis de encontrar. Se antes era preciso se esgueirar por sexshop ou importar as peças, agora, basta alguns cliques para fazer um pedido via internet. Só é preciso estar atento aos tamanhos.

Bold Strap

Harness da Bold Strap

Se você acompanha nosso site, já deve ter visto alguma matéria sobre a Bold Strap por aqui. A marca, que recentemente lançou a coleção Hard Candy, possui peças de elástico, couro e renda que podem variar de R$180 a R$580.

Ricok Couture

Harness da Ricok Couture

Sem deixar a linguagem do fetiche do lado, a Ricok Couture aposta mais em peças confortáveis, por isso, as confecções são, em grande maioria, de elásticos e algodão. Ah, a marca também possui harness para as meninas e os valores variam de R$99 a R$220.

Loja Necca

Harness da Loja Necca

Nova no mercado, a Loja Necca foca em peças confeccionadas de correntes dando ao fetiche uma outra cara. As peças podem ser personalizadas e encomendadas para serem exclusivas. Os valores de harness já postados variam entre R$100 e R$200

Comentários

Renan Oliveira
Renan é um jornalista de humor ácido (é bem ruim pela manhã) que acredita que informação é uma das armas mais poderosas contra a LGBTfobia.
COMPARTILHAR