Faloplastia não aumenta o pênis, mas o deixa mais aparente, diz urologista

1114
views

Ganhou a grande mídia a notícia de que o sertanejo Tiago Piquilo, dupla com Hugo, faria uma cirurgia para “aumentar o pênis”. O procedimento aconteceu na última na terceira-feira (06) no Trangender Center, clínica especializada em procedimentos para pessoas trans como a redesignação sexual e fica localizada em Blumenau. No entanto, de acordo com urologista consultado pelo Dentro Do Meio, não há nenhuma cirurgia capaz de aumentar o pênis.

“Na verdade, não existe cirurgia que faça aumentar o pênis. O que a gente faz é consertar algum desvio ou alguma alteração da normalidade. Também tem alguns pacientes que tem um excesso de gordura na região do púbis e a gente tira ou solta alguma ligadura que esteja prendendo… Então não é que o pênis cresceu, ele apenas se tornou mais aparente”, explicou o urologista Marcelo Magalhães.

O sertanejo, que já fez outra dezenas de cirurgias plásticas, esclareceu em entrevista ao Hugo Gloss que aposta na faloplastia exclusivamente por satisfação pessoal. “Sempre fui satisfeito. Faz 37 anos que eu vivo, e vivo bem. Mas se você tem 1 milhão na sua conta, e tem a oportunidade de dentro de uma honestidade, conseguir ter três… Há algum problema nisso?! Um golinho a mais não vai fazer mal pra ninguém.”.

Baixo resultado e risco de impotência

Na mesma entrevista Tiago disse que queria quebrar tabus e incentivar outras pessoas que estejam insatisfeitas a criar coragem para fazer a cirurgia. Embora a intenção pareça boa, faltou o alerta para os riscos da cirurgia que, se não for feita com o devido cuidado, pode causar disfunção erétil.

“O grande risco de mexer na estrutura do pênis, e é por isso também que não existe cirurgia para aumentar, é que pode causar impotência e às vezes isso é irreversível. Por isso que não existem técnicas para aumentar ou engrossar o pênis”, pontuou Dr. Marcelo, que deixou claro que não acompanhou o caso do sertanejo, não sabe o que o motivou a fazer a cirurgia e por isso deu uma visão mais geral sobre o procedimento.

Um estudo do Scientific Reports, feito em 2019, dá ainda mais força para o argumento de Dr. Marcelo. Após avaliar 365 cirurgias, a pesquisa concluiu que o enxerto de gordura, feito para engrossar o membro, pode ser reabsorvido ou quebrado pelo corpo diminuindo até 80% do volume em até um ano após o procedimento estético. Embora esteja disponível para quem possa pagar, a cirurgia é recomendada apenas para quem tem má formação.

Comentários

Renan é um jornalista de humor ácido (é bem ruim pela manhã) que acredita que informação é uma das armas mais poderosas contra a LGBTfobia.
COMPARTILHAR