“Sou muito mais do que minha sorologia”, diz Billy Porter sobre HIV

1475
views
Foto: Lia Clay Miller

Foi publicada na última quarta-feira (19), no The Hollywood Reporter, uma longa e intimista entrevista com Billy Porter, um dos astros da celebrada série Pose. Foi nela em que o ator tornou publica a sorologia e, após 14 anos, revelou ser HIV positivo e comemorou o fato de finalmente estar vencendo a vergonha de falar sobre o assunto.

+ Em live, Parada confirma nova edição virtual e oficializa HIV como tema

“Eu era a geração que deveria se cuidar melhor, mas isso aconteceu de qualquer maneira. Era 2007, o pior ano da minha vida. Estava no precipício da obscuridade por cerca de uma década ou mais, mas 2007 foi o pior de tudo. Em fevereiro, fui diagnosticado com diabetes tipo 2. Em março, assinei os papéis da falência. E, em junho, fui diagnosticado com HIV”, afirmou Porter.

Porter contou que decidiu procurar um médico depois de descobrir uma espinha no bumbum que, com o passar do tempo, ia ficando mais dura e dolorida. Aproveitando a oportunidade, ele se testou e descobriu que era portador do vírus. Devido a criação na igreja e a fé da mãe, o ator se sentiu culpado, envergonhado e, por medo de prejudicar a carreira, decidiu só contar para pessoas mais próximas, embora tenha privado a mãe até recentemente.

“Minha mãe já havia passado por tanta perseguição da comunidade religiosa dela por causa da minha orientação, que eu simplesmente não queria que ela vivesse o seu “eu te disse”. Eu não queria que ela passasse por isso”, revelou Billy ao contar que tinha planos de falar sobre a sorologia apenas quando ela morresse, mas mudou de ideia durante uma ligação que fez a ela.

“Ela disse: ‘Você carrega isso há 14 anos? Nunca mais faça isso. Eu sou sua mãe, eu te amo, não importa o que aconteça. E eu sei que não entendia como fazer isso no início, mas já se passaram décadas.’ E é tudo verdade. É minha própria vergonha. Anos de trauma deixam um ser humano arisco”, pontuou.

Durante a entrevista, Billy Porter também comentou que foi abusado pelo padrasto dos 7 aos 12 anos e que aos 16, durante a crise do HIV, decidiu revelar que era gay. Os traumas serviram para tornar ele um artista melhor, de acordo com o próprio. E por estar interpretando um soropositivo que Porter se sentiu mais a vontade para encarar a vergonha e tornar publica a condição dele.

“Tenho certeza de que essa será a primeira coisa que todo mundo dirá, ‘HIV positivo blá, blá, blá.’ OK. Que seja. Não é a única coisa que sou. Eu sou muito mais do que esse diagnóstico. E se você não quer trabalhar comigo por causa do meu status, você não é digno de mim”, concluiu.

Os próximos passos de Billy Porter

As gravações da última temporada de Pose já foram finalizadas, mas engana-se quem acredita que verá menos o rosto de Billy Porter. Durante a entrevista ele falou sobre o papel de fada madrinha na versão de Cinderela protagonizado por Camila Cabello, a biografia dirigida por Ryan Murphy e uma música nova.

“Cada um dos sonhos solitários que eu já tive estão se tornando realidade neste momento, tudo ao mesmo tempo. Estou me preparando para interpretar a fada madrinha em Cinderela. Tenho uma nova música saindo. Eu tenho um livro de memórias para ser publicado. Pose está aí . Estou dirigindo meu primeiro filme. E estou tentando estar presente”, concluiu.

Comentários

Renan é um jornalista de humor ácido (é bem ruim pela manhã) que acredita que informação é uma das armas mais poderosas contra a LGBTfobia.
COMPARTILHAR