Jogos com protagonistas LGBT são desta The Game Awards

72
views

Parece até meio clichê começar um texto sobre premiação desta forma, mas vamos lá: aconteceu na última quinta (10) o The Game Awards, que é considerado o Oscar do universo dos jogos. Neste ano, dois jogos com protagonistas LGBT foram indicados e venceram a disputa.

+ Fall Guys incluirá bandeira LGBT em próxima atualização

Além do estreante Tell Me Why, que acompanha a jornada de um homem trans e sua irmã cis, o esperado The Last of Us II não decepcionou e levou a maioria dos prêmios ao qual foi indicado. Vale lembrar que Ellie, personagem que acompanhamos desde o primeiro jogo, deu o primeiro beijo ainda na DLC de The Last of Us – Left Behind.

Tramas – sem spoiler

Como contamos aqui, Tell Me Why não gira em torno da história de transição de Tyler Ronan, mas foca na forte ligação entre ele a irmã. Ambos voltam a se reunir depois da morte da mãe e, através de lembranças compartilhadas, remontam a infância para resolver os mistérios.

Embora não seja o foco, em alguns momentos a transição de Tyler ganha destaque, especialmente para abordar o ponto de vista dele dos eventos que os dois estão tentam solucionar. O jogo foi desenvolvido com consultoria da GLAAD – Gay & Lesbian Alliance Against Defamation.

Já The Last of Us II se desdobra nos acontecimentos do primeiro jogo e da DLC. Aqui, a orientação sexual de Ellie também não é o foco, mas é determinante para contar como as coisas acontecem e chega a, de maneira sutil, engatilhar situações importantes para a trama.

Também durante o jogo conhecemos um personagem transexual, mas dessa vez corremos o risco de dar spoilers sobre o jogo se detalharmos mais sobre o momento em que aparece, desenvolvimento e outras coisas. O que podemos dizer é que a inclusão de outro LGBT na dinâmica de um mundo pós-apocalíptico não transforma discriminações que conhecemos hoje.

Comentários

Renan Oliveira
Renan é um jornalista de humor ácido (é bem ruim pela manhã) que acredita que informação é uma das armas mais poderosas contra a LGBTfobia.
COMPARTILHAR