Disney não estava pronta, diz criador de Ryan ao confirmar que ele é gay

129
views

A notícia de que o personagem Ryan Evans, irmão de Sharpay Evans em High School Musical, é gay não pegou muita gente de surpresa. Apesar de ter soado como algo que J.K. Rowling faria para incluir mais representatividade nas histórias, os fãs do filme já desconfiavam que Ryan fosse homossexual.

+ Spin off de Love, Simon não estará mais na Disney+

“Preciso ser honesto com vocês: Na época eu não pensava que, embora as pessoas mais progressistas com que trabalhei estivessem lá… fiquei preocupada porque era para famílias e crianças. Não pensei que a Disney estivesse pronta para atravessar essa linha”, contou Kenny Ortega, criador de HSM, ao Variety.

“Então, eu fiz as escolhas que eu acreditei que as pessoas que estavam assistindo entenderiam. Elas veriam, sentiriam e se identificariam”, pontuou. Ortega, que é declaradamente gay, ainda disse que Ryan não sairia do armário, mas deixaria que suas verdadeiras cores brilhassem durante a faculdade.

Ator disse que interpretou personagem que não estava pronto para se assumir

Embora seja uma novidade para algumas poucas pessoas, Lucas Grabeel, ator que deu vida ao personagem nos filmes, disse no ano passado que sempre viveu Ryan de modo que as nuances ficassem muito claras no decorrer dos filmes.

“Ryan era um cara que estava sempre muito empolgado com teatro, coreografias e chapéus brilhantes… ele não precisava de um rótulo porque ele ainda não estava pronto para isso. Ele ainda estava aprendendo sobre si, sobre os outros e sobre o lugar dele no mundo”, argumentou.

“Eu quis acrescentar alguns detalhes que vão ficar mais claros quando você assiste ao filme mais de uma vez e conforme a história vai avançando. Eu queria que as pessoas pensassem ‘esse personagem é mais complexo do que eu esperava’ ao invés de ‘ele usa rosa, então ele é gay’. Nos divertimos muito colocando pequenas nuances no meio do caminho”, finalizou Grabeel.

Comentários

Renan Oliveira
Renan é um jornalista de humor ácido (é bem ruim pela manhã) que acredita que informação é uma das armas mais poderosas contra a LGBTfobia.
COMPARTILHAR