Criador de conteúdo adulto teria aberto B.O. para derrubar twitter de quem recusou parceria

258
views
Foto: EyeFilmz

Se você acompanha o mundinho +18 do twitter deve ter dado falta de nomes como Yuri Oberon, Farley, Caio Rodrigues, Ítalo Andrade, Hanry Only Japa, entre outros do entretenimento adulto. As contas foram suspensas após os atores serem notificados pela rede social por supostamente quebrarem as regras da plataforma, o que pouco tinha sido divulgado até então é que um B.O. teria sido aberto e enviado para que o Twitter tomasse providências.

O assunto ainda é um pouco nebuloso, já que os envolvidos têm evitado falar e escolhido bem as palavras para tratar dele, mas circula pelas redes o print de uma notificação extrajudicial que mostra outro criador de conteúdo adulto, chamado Deividy Gonçalves, acusando alguns dos citados anteriormente de compactuarem e engajarem mentiras e difamação.

Deividy, que era dono da conta @deivinhogonn, também suspensa pelo Twitter, argumenta que além de ter notícias falsas envolvendo o nome dele espalhadas pelos supostos rivais, também viu informações pessoais divulgadas sem o consentimento dele, o que incluía um número particular.

As notícias falsas apontadas por Deividy devem ter relação com a outra versão que ganhou as redes sociais. Nela, o criador de conteúdo adulto teria ficado furioso com a recusa de parceria vinda de outros atores e passado a coordenar ataques para que as contas fossem derrubadas. Essa versão, inclusive, foi compartilhada pelo dono de uma produtora de filmes que também teve a conta suspensa.

O Dentro Do Meio tentou contato com o Twitter, mas a rede social não retornou até a publicação desta matéria. Para outros veículos, o microblog respondeu que não poderia entrar em detalhes sobre as suspensões. A resposta é semelhante as que foram encaminhadas para os criadores bloqueados.

Imagem originalmente compartilhada pelo @gayblog
Imagem originalmente compartilhada por str8upgayporn

Comentários

Renan é um jornalista de humor ácido (é bem ruim pela manhã) que acredita que informação é uma das armas mais poderosas contra a LGBTfobia.
COMPARTILHAR