Renner se desculpa por agressão homofóbica em loja

166
views

Viralizou nas redes sociais no último sábado (13), um caso de agressão homofóbica dentro de uma das unidades da Renner em Brasília. As imagens mostram Vinícius Gama Furtado levando um tapa de um homem não identificado.

Assim que as imagens ganharam as redes sociais, o perfil da Renner recebeu diversas críticas, já que no vídeo é possível ver um segurança que nada faz para defender a vítima das agressões. Outra coisa que pesou contra a loja, foi um depoimento detalhado de Vinícius mostrando que o funcionário da Renner não apenas não o defendeu como também deixou o agressor ir embora antes da polícia chegar ao local.

Em respostas as críticas, a Renner informou que o segurança havia sido afastado e, num texto bem neutro, reforçava o compromisso com a diversidade e a não violência.

Obviamente, a resposta não foi suficiente e as pessoas continuaram cobrando um posicionamento mais firme da empresa. Afinal, além da agressão ter acontecido no mês do Orgulho, a LGBTfobia é oficialmente crime desde a decisão do STF.

Como uma nova resposta, a Renner postou no Instagram um vídeo detalhando melhor quais ações foram tomadas depois da agressão sofrida por Vinícius. Na gravação, a loja diz que o segurança não interviu por orientações dadas por eles, mas não por homofobia e sim para evitar brigas, o que reconhecem ter sido um erro.

Como ação para evitar novos casos, eles anunciaram que vão rever os procedimentos e treinamentos. A ideia, de acordo com o vídeo, é ouvir colaboradores LGBTI e consultores para reestruturar os processos de forma inclusiva. Sobre o caso de Vinícius, eles informaram que já entregaram as imagens de segurança das autoridades e informaram que estão a disposição e se desculparam com o cliente. Assista:

Comentários

Renan Oliveira
Renan é um jornalista de humor ácido (é bem ruim pela manhã) que acredita que informação é uma das armas mais poderosas contra a LGBTfobia.
COMPARTILHAR