PM-RJ invade espaço temporário da Casa Nem e prende Indianarae Siqueira

37
views

*Colaborou para notícia Rafael Revadam

Depois de despejados durante a pandemia do coronavírus, a Casa Nem está, mais uma vez, sendo alvo de decisões judiciais contraditórias para dizer o mínimo. Mesmo sem mandato, a Polícia Militar do Rio de Janeiro entrou no lar temporário e conduziu Indianarae Siqueira para delegacia.

Um acordo firmado com Erick Witzel, da Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual – CEDSRIO, garantia aos moradores da Casa de Acolhimento o direito de morar na escola Estadual Pedro Álvares Cabral até que um espaço cedido pela prefeitura em Laranjeiras fosse reformado e entregue.

No entanto, de acordo com duas postagens da Casa Nem nas redes sociais, a PM não foi informada do acordo e acusa Indianarae Siqueira e os demais moradores de invasão de bem público. Veja as postagens com imagens do momento da condução para delegacia:

Através da assessoria de imprensa, a Polícia Militar do Rio de Janeiro disso ao Dentro Do Meio que houve denuncias de invasão na Escola e que quando foram investigar, Indianarae teria se recusado a se identificar e por isso tiveram que conduzi-la para delegacia. Leia na integra:

A Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado de Polícia Militar esclarece que, nesta terça-feira (8/9), policiais militares do 19º BPM (Copacabana), foram acionados para uma ocorrência de possível invasão no Colégio Pedro Álvares Cabral, situado na rua República do Peru, no mesmo bairro. Equipes constataram que diversas pessoas estavam supostamente morando no referido endereço e solicitou a presença de um responsável, momento em que uma mulher se apresentou comunicando aos policiais que eles tinham autorização do diretor da escola e da Secretaria de Direitos Humanos para ocupar o local enquanto o imóvel que foi oferecido pelo Governo ficasse pronto. Diante do fato, os policiais solicitaram a identificação da mesma, mas ela se recusou e, por este motivo, foi conduzida para a 12ª DP.

Tentamos também contato com a Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual – CEDSRIO, mas ainda não obtivemos retorno.

Comentários

Renan Oliveira
Renan é um jornalista de humor ácido (é bem ruim pela manhã) que acredita que informação é uma das armas mais poderosas contra a LGBTfobia.
COMPARTILHAR