Parada Virtual 2020 é retirada do YouTube

83
views

As polêmicas envolvendo a edição virtual da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo não param de se acumular. Depois das acusações feitas por Kaká Di Polly e do desabafo publicado por Silvetty Montilla, no qual a drag diz que pessoas da associação não gostam dela, os vídeos com a transmissão da Parada Virtual foram retirados do YouTube.

+ Parada Ao Vivo educa população LGBTI mais jovem

Além do canal oficial da APOGLBT e da Dia Estúdio, todos os youtubers que transmitiram a 1º edição inteiramente on-line da Parada do Orgulho LGBT também tiveram o vídeo de aproximadamente 8 horas retirados de seus respectivos canais.

O Dentro Do Meio entrou em contato com a Parada SP e com a Dia Estúdio para entender porque os vídeos foram suspensos. A APOGLBT informou que em breve “haverá uma reunião com a Parada, Dia Estúdio e Youtube para entender o que ocorreu”.

Já a Dia Estúdio explicou que “uma questão envolvendo direitos autorais de um dos vídeos de participações” foi o que retirou o vídeo do ar, mas que solucionada a questão ele voltará ao ar em todos os canais.

Vale lembrar que, além dos shows de Liniker, Gloria Groove e Daniela Mercury, a transmissão também teve outros números musicais um pouco menores. Com base nas justificativas, pode ser que o YouTube tenha entendido que a live infringiu alguma regra.

Comentários

Renan Oliveira
Renan é um jornalista de humor ácido (é bem ruim pela manhã) que acredita que informação é uma das armas mais poderosas contra a LGBTfobia.
COMPARTILHAR