“Parada LGBT+ para quem?”, questiona Lucas Raniel

521
views
Youtuber Lucas Raniel com um frasco de sangue pronto para testagem

O criador de conteúdo e ativista do movimento de combate ao HIV/AIDS, Lucas Raniel, usou as rede sociais para criticar a ONG que organiza a Parada LGBT de São Paulo. Em um tuíte já apagado, ele questionou a falta de representatividade nas reuniões da organização.

+ Público mais jovem renova Parada LGBTI

Lucas tentou participar da reunião da última segunda (16), que ajudaria a definir o tema do próximo ano. De acordo com o ativista, não existe divulgação sobre as reuniões e, por não ter conseguido se inscrever em tempo hábil, acabou ficando para fora.

Através do twitter, ele contou que vozes importantes para a luta da comunidade não são ouvidas e que tem muita “LACRAÇÃO COM LUCRAÇÃO”. Veja a sequência de tuítes abaixo.

Tentei contato com Lucas para saber se ele queria acrescentar algo, mas até a publicação deste texto não tive nenhuma resposta.

Parada LGBT responde críticas

Pouco depois da sequência de postagens de Lucas, Fabrício Viana, assessor da ONG responsável pela Parada LGBT de São Paulo, também usou o twitter pessoal para rebater as acusações de falta de representatividade. Ele classificou as postagens como “desnecessárias”.

Também entrei em contato com Associação da Parada do Orgulho LGBT que, por e-mail, disse ao Dentro do Meio que as reuniões são marcadas e divulgadas com antecedência no site e nas redes sociais. O e-mail também diz que nos últimos 4 anos é a primeira vez que Rainel aparece nas reuniões oficiais.

“Pelo que ficamos sabendo, na última reunião, exatamente quando ela já estava acontecendo, ele e outras pessoas, sem terem feito solicitação por formulário ou pedido formal de participação, exatamente como todas as outras pessoas fazem, ‘passaram na porta’ e queriam entrar. Obviamente não deixaram. A ONG não é a casa da mãe joana. Tem aviso com antecedência no site e redes sociais com formulário justamente pra isso”

Sobre Daniel, a organização disse que ele está “desferindo seu ódio contra a ONG e falando diversas inverdades sobre a mesma e ao movimento” por não ter “ter feito o trâmite legal que todas as outras pessoas fazem ao longo dos anos”.

Comentários

Renan Oliveira
Renan é um jornalista de humor ácido (é bem ruim pela manhã) que acredita que informação é uma das armas mais poderosas contra a LGBTfobia.
COMPARTILHAR