Orientação sexual e identidade de gênero passam a ser obrigatórios em B.O. de SP

25
views

Uma liminar da Defensoria Pública de São Paulo foi acatada pela Justiça de São Paulo e, desde 26 de janeiro, os campos de Orientação sexual e identidade de gênero passam a ser obrigatórios em boletins de ocorrência de todo o estado. A medida tem como objetivo mapear a violência contra pessoas LGBT.

+ Um ano depois, Justiça acata denúncia contra shopping de Maceió que expulsou trans

Tido como o país que mais mata pessoas LGBT em todo mundo, o Brasil não possui nenhum mapeamento oficial sobre o assunto, cabendo a ONGs se mobilizarem para conseguir fazer relatórios que mostrando que, infelizmente, a intolerância ainda tira muitas vidas por aqui.

“São duas finalidades: tirar da invisibilidade a violência contra as pessoas LGBTQI+ e romper a subnotificação que existe desses crimes por falha de registro. Existe subnotificação porque a população trans não busca delegacias por não achar o ambiente acolhedor, mas também existe a subnotificação porque não existem esses campos para conseguir gerar estatísticas para que a gente saiba da realidade da violência sofrida por essa população”, explicou Yasmin Pestana, defensora pública do Núcleo especializado de Defesa da Diversidade e da Igualdade Racial (Nuddir), ao G1.

Na sentença que acatou a liminar, o juiz Enio Jose Hauff, da 15ª Vara da Fazenda Pública, defende que “Não sabemos, por exemplo, quantas pessoas trans sofrem violência doméstica, ou quantas pessoas gays sofrem lesões”. A Secretaria de Segurança Pública (SSP) e o governo de SP têm 60 dias para que cumpram a determinação.

Comentários

Renan Oliveira
Renan é um jornalista de humor ácido (é bem ruim pela manhã) que acredita que informação é uma das armas mais poderosas contra a LGBTfobia.
COMPARTILHAR