Erika Hilton será presidente de CPI que investigará violência contra trans

27
views

A Câmara Municipal de São Paulo aprovou nesta terça-feira (23) a proposta da vereadora Erika Hilton para implementação de Comissão Parlamentar de Inquérito que investigará a violência contra pessoas trans por toda a cidade.

+ Feministas radicais criticam eleição de mulheres trans

+ Alexandre Frota protocola segundo projeto de lei para LGBTIs

Na justificativa, Hilton citou o trágico caso de Lorena Muniz, mulher trans que viajou de Recife para São Paulo com a intenção de colocar próteses mamarias, mas morreu no último domingo (21) depois que médicos a abandonaram sedada numa sala para fugir de um princípio de incêndio.

“Lorena foi mais uma vítima da violência de gênero que afeta pessoas trans e travestis e do descaso do Estado nos cuidados da saúde específica dessas pessoas”, pontuou a vereadora mais votada de São Paulo.

De acordo com a assessoria de Hilton, a CPI também analisará os ataques e ameaças sofridas por covereadoras trans e pela própria Erika, além de outros casos que aconteçam na rua.

Além da autoria da proposta, Erika também atuará como presidente da comissão. Assinaram como apoiadores os vereadores Cris Monteiro (Novo), Luana Alves (PSOL), Antonio Donato (PT), Felipe Becari (PSD), Senival Moura (PT), Eliseu Gabriel (PSD), Aurélio Nomura (PSDB), Toninho Vespoli (PSOL), Celso Gianazzi (PSOL), Silvia da Bancada Feminista (PSOL), Xexéu Tripoli (PSDB), Eduardo Suplicy (PT), Elaine do Quilombo Periférico (PSOL), Jair Tatto (PT), Isac Felix (PL), Sandra Tadeu (DEM), Eli Corrêa (DEM) e Delegado Palumbo (MDB).

Comentários

Renan Oliveira
Renan é um jornalista de humor ácido (é bem ruim pela manhã) que acredita que informação é uma das armas mais poderosas contra a LGBTfobia.
COMPARTILHAR