ANTRA é alvo de ataques depois de matéria de site gay

79
views

A página da ANTRA (Associação Nacional de Travestis e Transexuais) no Facebook está sendo alvo de ataques depois de uma matéria publicada pelo site Guia Gay. O portal acusa a instituição de manipular e mentir sobre os dados de transfobia no Brasil. Tudo isso no mês da visibilidade trans.

+ Kim Petras tira foto zombando de transfóbicos

De acordo com o texto, o número de pessoas mortas por transfobia caiu 24,5% em 2019. A reportagem feita pela Rede Guiya, responsável pelos sites Guia Gay, usou os mapas publicados pela ANTRA para divulgar os dados, no entanto, os relatórios divulgados pela associação utiliza outras fontes de informação para calcular os números de assassinatos.

Os ataques sofridos pela ANTRA nas redes sociais começaram depois que o deputado Eduardo Bolsonaro usou o twitter para compartilhar a notícia de que as mortes supostamente teriam caído. O filho do presidente escreveu que todos estavam se beneficiando porque o governo estava fazendo “política para todos”.

 



ANTRA publica nota repudiando notícias falsas

A ANTRA publicou uma longa nota explicando o processo de apuração dos dados de assassinato de pessoas trans no Brasil. A associação alegou que já realiza o trabalho de catalogar e somar os números há 3 anos e que a Rede Guiya deveria cobrar do estado uma apuração ao invés de criticar que faz isso gratuitamente.

“Quantas vezes o guia gay se preocupou em cobrar do estado que sejam realizados levantamentos de dados governamentais sobre a população LGBTI? Quantas somos?

Quais as ações que o site tem feito para contribuir efetivamente com a situação enfrentada pela população de travestis e transexuais ou fortalecer o trabalho da ANTRA?”, questiona parte da nota.

Rede Guiya insiste que dados de LGBTIfobia no Brasil são falsos

Não é a primeira vez que os sites Guia Gay questionam a veracidade dos relatórios de LGBTIfobia publicados por ONGs brasileiras. Em 2018, Welton Trindade assinou um texto intitulado “Brasil é o país que mais mata LGBT? Por que é um erro achar isso”.

A publicação faz duras críticas ao Grupo Gay da Bahia e ao método utilizado para catalogar os mortos por LGBTIfobia no Brasil. É importante ressaltar que os dados da ONG são usados internacionalmente.

A Rede Guiya também publicou uma matéria, assinada novamente por Welton Trindade, dizendo que a militância se recusa a ver os avanços para população LGBTI no ano de 2019, primeiro ano do presidente eleito Jair Bolsonaro a frente do país.

Comentários

Renan Oliveira
Renan é um jornalista de humor ácido (é bem ruim pela manhã) que acredita que informação é uma das armas mais poderosas contra a LGBTfobia.
COMPARTILHAR