Tell Me Why trará personagem trans como protagonista

30
views
Tyler, personagem trans de Tell Me Why, e sua irmão ao ar livre. Tyler curte o ar puro enquanto Alyson está ao fundo

Os LGBTI amantes de jogos vão gostar dessa aqui. Tell Me Why será o primeiro jogo com um personagem transexual jogável de uma produtora grande. O jogo é uma parceria entre a DONTNOD Entertainment, criadora do elogiado Life is Strange, com a Microsoft.

+ Burger King abre vagas para pessoas trans

Além de entrar para história, o enredo que envolve Tyler Ronan promete ser bem representativa, já que para criá-la a desenvolvedora contou com a consultoria da GLAAD. para garantir uma representação inclusiva e respeitosa.

De acordo com o texto de divulgação, a ideia da consultoria é “garantir que Tyler não ofereça apenas uma representação inclusiva e multidimensional para homem trans como também sirva de base para criação de outros personagens transgênero em jogos no futuro”.

E como parte do comprometimento em ajudar a representar melhor a comunidade trans, os desenvolvedores do jogo contrataram um homem trans para dublar Tyler

Do que trata o jogo

Apesar da representatividade, a história não vai girar em torno da transição de Tyler. O enredo promete explorar a ligação dele com a irmã, Alyson, e o poder que ambos tem de compartilhar memórias através da própria perspectiva.

Os personagens se encontrarão depois de terem vivido separados por 10 anos para explorar a feliz e conturbada infância que tiveram ao lado da mãe quando viviam no Alasca.

O jogo será lançado em três partes e estará completo e disponível para jogar a partir do verão americano de 2020. Mas para não deixar a gente extremamente curioso até lá, liberaram um trailer. Confira:

Matérias relacionadas

+ Trump proibe pessoas trans de ingressar nas forças armadas
+ OMS retira transexualidade da lista de doença
+ Mundo Mais lança primeira cena de sexo gay com homem trans no Brasil

Comentários

Renan Oliveira
Renan é um jornalista de humor ácido (é bem ruim pela manhã) que acredita que informação é uma das armas mais poderosas contra a LGBTfobia.
COMPARTILHAR