Homem gay destrói bar LGBTI em Salvador

75
views

O último domingo não foi nada fácil na Rua Carlos Gomes em Salvador. Um homem, supostamente gay, invadiu e quebrou um bar LGBTI, agrediu uma das donas e se preparava para invadir outro estabelecimento quando foi contido pela polícia. Identificado como Edson Oliveira Lima Macedo, o homem começou a confusão antes de chegar a região LGBTI. De acordo com o Me Salte, Edson chegou a quebrar o vidro de um ônibus com uma pedra. “Ele entrou sereno e segurava um saco quando, do nada, começou a gritar, dizendo que ia matar os gays e olhou pra mim e disse:’você é viado e vai morrer’. Do nada, tirou um paralelepípedo do saco e jogou contra uma das janelas do ônibus que quebrou. Os estilhaços atingiram o meu rosto”, contou o Dj Hebert Almeida. Depois disso, o agressor teria rendido o motorista do ônibus e o obrigado a parar em frente ao Espaço Cultural Caras & Bocas. Já lá dentro, Edson começou a destruir o estabelecimento e agredir os presentes. A drag queen Valerie O’rarah foi um dos alvos dele. A coisa ficou pior quando Edson pegou pelos cabelos Alexsandra Leitte, uma das donas do espaço, e a arrastou para rua. Ele tentou matá-la jogando-a em frente de um ônibus em movimento, mas o veículo conseguiu parar. Na rua e ainda fora de controle, Edson agrediu clientes entrar funcionários do bar Âncora do Marujo, outro estabelecimento LGBTI em que tentou entrar. Na confusão ele foi contido e levado para delegacia.

Histórico problemático

Infelizmente, não é a primeira vez Edson arruma confusão em ambientes LGBTI da cidade. De acordo com Rosy Silva, esposa de Alexsandra e proprietária do bar invadido, ele possui inquéritos por se recusar a pagar saunas que frequenta. “É muito triste isso. Especialmente porque temos a informação de que ele é um homem gay. Ele ficava gritando e dizendo que iria matar todos os ‘viados e sapatões’”, contou Rosy. Edson foi levado para Central de Flagrantes, mas foi liberado em seguida. Na saída, ele voltou a atacar os LGBTI que estavam aguardando a resolução do caso e precisou ser contido novamente. Numa nota, a Polícia Civil disse que instaurou um inquérito para apurar o caso, mas adiantou que Edson toma remédios controlados e é usuário de drogas. Ele chegou a ser atendido por um psiquiatra antes de ser liberado.

Comentários

Renan Oliveira
Renan é um jornalista de humor ácido (é bem ruim pela manhã) que acredita que informação é uma das armas mais poderosas contra a LGBTfobia.
COMPARTILHAR