Casa 1 não receberá dinheiro de suruba

412
views

Há algumas semanas passou a pipocar nas redes sociais um flyer de uma “Suruba beneficente” que doaria parte do dinheiro arrecadado para Casa 1, mas, no último domingo (31), a instituição disse que não receberá o dinheiro da festa.

+ O mistério dos bloqueios Clube dos Pauzudos

Através de uma postagem no Facebook, a Casa 1 disse que a “suruba pode envolver profissionais do sexo, que não é uma área regulamentada no país” e que o evento poderia trazer consequências legais para eles.

Eles ainda esclareceram que a Dédalos Bar, responsável pelo evento, não foi muito clara quando informou que organizaria algo para arrecadar fundos e, por isso, acabaram topando no começo.

O outro lado

Entrei em contato com a Dédalos por e-mail para saber se, com a recusa da Casa 1, a suruba beneficente estaria cancelada. A boa notícia para quem queria participar é que vai ter suruba sim!

“Como nosso movimento cresce a cada semana e queríamos comemorar o Dia do Sexo de um forma bem bacana, a Suruba Beneficente está mantida, sim. Parte dos lucros será doada para o Centro de Referencia da Diversidade”, diz a nota divulgada.

O bar ainda deixou claro que as regras se convívio do espaço deixam explícito de que não é permitida a presença de profissionais do sexo e que aguardaram a confirmação da Casa 1 para a divulgação da suruba beneficente.

A ideia, inclusive, teria sido motivada com objetivo exclusivo de ajudar a instituição, que no começo deste ano divulgou que poderia fechar as portas por falta de dinheiro. “Queríamos ajudar de alguma forma”.

Moralismo e hipocrisia?

A recusa da Casa 1 dividiu opiniões na internet e começou uma acalorada discussão sobre moralismo e hipocrisia.

“ei, seu moralismo tá escorrendo ali no canto.
A casa tem política contra garoto de programa, assim como boa parte dos sex clubs de São Paulo. Se tiver GP lá, é pq tá curtindo como cliente. Na próxima inventem desculpa melhor”, diz um dos comentários recebidos pela instituição.

“Não entendi a justificativa de desarticular a ação porque “talvez quem sabe possa vir a ter profissionais do sexo” sendo que o próprio site da casa diz que essa prática é proibida no espaço. Absolutamente qualquer coisa “pode envolver profissionais do sexo”, inclusive coisas que não tem ligação nenhuma com sexo e surubas. Soou moralista”, argumentou mais um usuário.

“Ué, mas vcs recebem dinheiro da chilli pepers. N entendi”, pontuou o outro.

Este foi um dos pontos mais recorrentes, inclusive. Cheguei a pesquisar que ação foi essa que a Chilli fez com a Casa 1, mas não encontrei nada.

+ Dono da Chilli Peppers defende Bolsonaro

Por outro lado, houve quem engrossasse a argumentação de que a instituição não teve tempo para saber mais sobre o evento e que aceitar dinheiro poderia trazer problemas.

“Nós vivemos no Brasil de 2019 e vem gente dizer que um espaço como a Casa 1 não tem o direito de ser cauteloso e ter tempo para analisar uma situação e, assim, se proteger de algo que possa ser usado contra ela pelas inúmeras de pessoas que gostariam de ver esse espaço fechado? “, questina um comentário.

“Receber dinheiro fruto de prostituição de terceiros é crime. Eles provavelmente temiam uma acusação de rufianismo, exploração sexual, etc. O texto deixa bem claro que a preocupação é com as implicações legais de ter prostituição na festa”, observa outra postagem.

E você? Qual é sua opinião sobre tudo isso? Vai participar da suruba beneficente?

Comentários

Renan Oliveira
Renan é um jornalista de humor ácido (é bem ruim pela manhã) que acredita que informação é uma das armas mais poderosas contra a LGBTfobia.
COMPARTILHAR