Taylor Swift discursa por direitos LGBTI

29
views

Parece que Taylor Swift está mesmo determinada em usar um pouco da sua imagem a favor da comunidade LGBTI.

A cantora aproveitou a participação no VMA 2019 para endosar o posicionamento e impulsionar o abaixo assinado que pede por direitos LGBTI.

Na performance, Taylor cantou “You Need Calm Down” ao lado de algumas drags e artistas que estiveram com ela no vídeo da música.

Alfinetada em Trump

Quando foi agradecer pelo prêmio de Melhor Clipe de Pop que recebeu, Taylor aproveitou a oportunidade para dar uma cutucada na administração do atual presidente dos EUA e nas pessoas que não acreditam na força da petição.

“Mais de meio milhão de pessoas já assinaram até agora, o que é mais do que cinco vezes o necessário para escolher o responsável pela Casa Branca”, discursou.

Não é segredo que Donald Trump, tal qual seu fã Bolsonaro, tem feito o possível para dificultar a vida de pessoas LGBTI. O recado da cantora vem como um lembrete de que ele pode tentar, mas seguiremos lutando.

“Esse clipe traz muitas questões e votar nele significa que vocês querem um mundo em que todos são tratados igualmente, independente de quem amamos ou como nos identificamos”, defendeu Taylor.

Tudo pelo Pink Money?

A mudança quase repentina de comportamento de Taylor acendeu o alerta de “Pink Money” da galera. Estaria a cantora querendo apenas se promover em cima da comunidade?

Parece pouco provável. Primeiro porque, goste você ou não, Swift já tem um nome consolidado no mercado fonográfico com contratos e força o suficiente para continuar lucrando milhões mesmo sem se pronunciar.

A justificativa da cantora para começar a se posicionar agora foi dada em entrevista recente a revista Vogue.

Taylor disse que “não tinha percebido que poderia militar em favor da comunidade LGBTI sem fazer parte dela”. Mas quando Todrick Hall, com quem ela tem mostrado uma forte amizade, perguntou “o que ela faria se o filho dela fosse gay?” fez com que ela questionasse a própria postura.

“O fato dele ter que me perguntar isso me chocou e me fez perceber que eu nunca tinha deixado minha posição extremamente clara. Se meu filho fosse gay, ele seria gay. Não consigo entender a questão”, esclareceu.

“Se ele se perguntava isso, eu não posso imaginar o que meus fãs da comunidade LGBTI poderiam estar se perguntando. É meio devastador perceber que eu nunca fui publicamente clara sobre isso”, concluiu.

Poderia ser apenas um discurso vazio, mas desde a declaração, Taylor lançou uma petição e doou o equivalente a R$ 400 mil para umas instituição LGBT em Tennessee.

Parte do discurso de agradecimento pelo prêmio para o clipe de “You Need Calm Down” foi feito por Todrick. Alguns fãs apontaram que Taylor cedeu o espaço por entender que a questão LGBTI não é local de fala dela.

Prêmio para Drag Queens que participaram do clipe

Outra pequena ação que mostra um pouquinho do comprometimento de Taylor veio a tona através de uma postagem da Drag Queen Trinity K Bonet (dona e proprietária da empresa dublagem).

Ela contou que Taylor só fez a abertura do VMA com a condição de que, caso ela ganhasse algum prêmio, todas as drags teriam direito um astronauta de prata com o próprio nome gravado.

Por falar em troféu, o ator Jonh Travolta quase entregou a estatueta da cantora para Jade Jolie, que estava caracterizada como Taylor Swift para apresentação.

Eu não sou um grande fã de Taylor, mas reconheço que ter uma artista como ela como aliada, ainda mais quando governos conservadores estão tomando conta do mundo, é extremamente importante. Que bom que decidiu usar sua voz, Taylor. Seja bem vinda.

Comentários

Renan Oliveira
Renan é um jornalista de humor ácido (é bem ruim pela manhã) que acredita que informação é uma das armas mais poderosas contra a LGBTfobia.
COMPARTILHAR