Ministra de Bolsonaro garante que LGBTI não ficarão desamparados

63
views
Ministra Damares e Jair Bolsonaro Foto: Fátima Meira/Futura Press

Damares Alves, nova ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, garantiu que LGBTI não ficarão desamparados no novo governo. Ela disse que toda a imprensa brasileira está errada ao noticiar o contrário e que o tema será tratado pela Secretaria Nacional de Proteção Global.

Damares ainda ironizou e deu a entender que precisava ser mais cuidadosa ao dar entrevistas. Tudo que essa ministra faz ou fala vira ruído”. Para a ministra, “todas as configurações de família” serão respeitadas” e é impossível pensar em políticas públicas “sem o fortalecimento das famílias”.

Nenhum direito a menos

Já Sergio Queirós, responsável pela Secretaria Nacional de Proteção Global foi mais firme ao dizer em entrevista ao UOL que “nenhum direito da comunidade será suprimido”, LGBTI não ficarão desamparados e não há razões para alarde.

Ele argumentou que a pasta que trata de pessoas LGBTI terá “a mesma estrutura do governo anterior”, mas só terá mais detalhes para fornecer sobre o assunto quando a secretaria for estruturada

Bolsonaro não faz menção em Medida Provisória

Não bastou deixar subentendido que irá tornar a vida de pessoas trans mais difícil, na última terça (1) o presidente Jair Bolsonaro decidiu que não existimos e, não só não fez nenhuma menção sequer aos LGBTI na medida provisória nº 870/19, como nos eliminou da estrutura de governo.

A exclusão fica mais clara na edição especial do Diário Oficial da União, publicado também na última terça. O novo governo fala de políticas públicas para mulheres, criança e adolescente, juventude, idoso, pessoa com deficiência, população negra, minorias étnicas e sociais e Índio, mas deixa de fora os LGBTI, que antes apareciam nas estruturas de Ministérios e Secretarias Especiais da Presidência.

Não para por aí

As investidas de Bolsonaro para tirar LGBTI da estrutura de governo. De acordo com o jornalista Paulo Saldanã, da Folha de S. Paulo, Ricardo Vélez Rodriguez, novo ministro da educação, vai extinguir a secretaria do MEC que é responsável por ações de diversidade. No lugar, haverá uma secretaria dedicada a alfabetização.

“Menino veste azul e menina veste rosa”

Apesar de tentar apaziguar a situação, a ministra Damares Alves vem dado declarações cada vez mais preocupantes para pessoas LGBTI. Num vídeo publicado nesta quinta (3) através do twitter, ela deixa claro que não está disposta discutir gênero.

Atualização: Após a repercussão negativa, a ministra apagou o tweet, mas o vídeo já tinha viralizado na internet.

No discurso feito ao assumir o cargo, Damares, que é pastora evangélica, defendeu que “o Estado é laico, mas esta ministra é terrivelmente cristã. E nós sabemos bem como alguns cristãos agem quando misturam política e religião, não é mesmo.

Comentários

Renan Oliveira
Renan é um jornalista de humor ácido (é bem ruim pela manhã) que acredita que informação é uma das armas mais poderosas contra a LGBTfobia.
COMPARTILHAR