Escola se desculpa com aluna trans depois de repercussão no Facebook

A Escola Estudar Sesc, que fica em Fortaleza, se desculpou com a aluna trans que havia sido impedida de realizar a rematrícula para o ano letivo de 2013.

Mara Beatriz, mãe de Lara de 13 anos, usou as redes sociais para denunciar a transfobia dos responsáveis pela administração do colégio

+ Gay expulsa cristãos homofóbicos de cafeteria

Na publicação ela revela que a escola não respeitava o nome social de Lara e não permitia que ela usasse o banheiro feminino.

“Hoje (esta terça-feira), no cúmulo da transfobia, me chamaram pra uma reunião e ‘recomendaram’ que nossa família procure outra escola, que possa atender ‘as necessidades’ dela”, diz parte da postagem.

+ Homem tortura e mata enteado de 8 anos porque ele “parecia gay”

A postagem foi amplamente compartilhada e após muitas críticas a escola voltou atrás na decisão e se desculpou “pelo sofrimento causado à familia de Lara”.

“O Sistema Fecomércio e a Escola Educar Sesc de Ensino Fundamental, em Fortaleza, repudiam qualquer atitude de preconceito. A Escola está averiguando os fatos e tomando as devidas providências”, postou a escola no Facebook.

Sobre o Autor

Renan Oliveira
Renan Oliveira
Renan um é jornalista de humor ácido (é bem ruim pela manhã) que acredita que informação é uma das armas mais poderosas contra a LGBTfobia.

Comentários