Ministro do STF defende que sangue de gays precisa de testagem diferente

O Ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, defendeu que sangue de gays precisa de uma testagem diferente caso sejam autorizados a doar.

+ STF começa pode derrubar regulamentação que proíbe doação de sangue de homens gays. Entenda!

De acordo com o Moraes, há razões “técnicas” para que a proibição exista. Ele ainda salientou que Canadá e Estados Unidos também não permitem que homossexuais doem  sangue.

Ele defendeu que o veto seja modificado e ao invés de uma rejeição automática, o sangue de homens gays seja “separado, armazenado e testado” depois do período de janela imunológica.

4×2

Até agora todos os ministros votaram para que a proibição existente na Anvisa seja derrubada.

Entretanto, a ressalva feita por Moraes e acompanhada por Lewandowski defende um tipo diferente de discriminação a homens gays criando um tipo mais brando de veto.

Os Ministros Fachin, Fux, Weber e Barroso votaram somente pela suspensão da proibição.

Vitória incerta

Apesar dos 6 favoráveis, a vitória da comunidade LGBT nessa batalha ainda é incerta.

Caso os demais ministros optem por acompanhar o voto de Moraes, o estigma o sangue de homossexuais é inferior ao de heterossexuais continua.

A votação deve ser retomada amanhã.

Sobre o Autor

Renan Oliveira
Renan Oliveira
Renan um é jornalista de humor ácido (é bem ruim pela manhã) que acredita que informação é uma das armas mais poderosas contra a LGBTfobia.

Comentários