Sete pessoas são presas no Egito por causa de Bandeira LGBT

A perseguição contra lésbicas, gays e pessoas trans está cada vez mais intensa. A polícia do Egito prendeu 7 pessoas por causa de Bandeira LGBT que foi erguida num show da banda libanesa Mashrou’ Leila.

+ Azerbaijão prende e tortura LGBT+

As prisões aconteceram na última segunda-feira (25) e a polícia realmente se empenhou para conseguir realiza-las.

Imagens das câmeras de segurança foram solicitadas é uma equipe especial foi designada para encontrar os donos da Bandeira LGBT.

Legislação egípcia

Oficialmente, ser LGBT+ não é crime no Egito, porém não é incomum que prisões como a da última segunda ocorram.

Um levantamento feito pela Solidariedade com Egito LGBTQ+ aponta que, desde 2013, 274 pessoas já foram investigadas por “promoção de desvios sexuais”.

Mashrou’ Leila banida

A banda libanesa Mashrou’ Leila, cujo vocalista é assumidamente gay, está sendo apontada pelas autoridades como responsável pelas prisões.

“Se tivéssemos sabido da homossexualidade deste membro, teríamos proibido o show antes da sua realização”, disse o secretário-geral Ahmad Ramadan à Éfe.

Novos shows da banda estão proibidos.

 

Sobre o Autor

Renan Oliveira
Renan Oliveira
Renan um é jornalista de humor ácido (é bem ruim pela manhã) que acredita que informação é uma das armas mais poderosas contra a LGBTfobia.

Comentários