Presidente da Chechênia diz que gays são demônios e que eles não existem no país

Presidente da Chechênia Ramzan Kadyrov

Ramzan Kadyrov presidente da Chechênia voltou a negar que exista homossexuais no país. Ele reafirmou que não há como haver um campo de concentração já que esses “demônios” não existem na terra dele.

+ Jornal publica nome de 27 pessoas mortas na Chechênia e reacende discussão sobre Campo de Concentração

Kadyrov disse ao canal HBO que se existirem gays na chechênia, eles devem se mudar para o Canadá para que assim o sangue checheno volte a ser puro.

“Não temos nenhum gay. Se houver, leve-os para o Canadá. Leve-os para longe de nós para purificar nosso sangue. Eles são demônios e não pessoas”, afirmou o líder checheno.

Ele ainda acrescentou que as pessoas que o acusam de manter um campo de concentração “terão que responder ao Todo-Poderoso por isso”.

Não é a primeira vez que ele nega o campo de concentração ou existência de gays no país. Ele chegou a convidar líderes de outros países para tentar localizar o campo de concentração.

Sobre o Autor

Renan Oliveira
Renan Oliveira
Renan um é jornalista de humor ácido (é bem ruim pela manhã) que acredita que informação é uma das armas mais poderosas contra a LGBTfobia.

Comentários